domingo, 18 de outubro de 2009

Distrito 9

O que dizer após sair do cinema? Nada! Eu fiquei chocada com o filme. É uma ficção científica que diz tanto sobre o comportamento das pessoas que chega a doer na consciência.
Vamos falar primeiro da propaganda do filme. Os cartazes como o da figura abaixo estavam por toda a cidade. Medo... Fazia parecer que o Distrito estava logo ali.


Agora vamos ao filme em si.
O filme se passa como se fosse um documentário contando a história de Wikus, um cara normal até mesmo meio idiota. Ele é nomeado chefe de uma invasão da MNU (uma espécie de ONU das relações humano/ alienígenas) ao distrito 9. Invasão essa que lembra muito algumas ações da polícia em favelas daqui. Eles querem tirar os “camarões”, como são chamados, e levá-los para outro assentamento à 200Km de Johanesburgo. Durante essa missão, Wikus é infectado com um líquido preto de um artefato alien (os jornais divulgam que ele foi contaminado mantendo relações com os camarões. Quem lembrou de uma das teorias loucas sobre o surgimento do vírus da AIDS?). Mais tarde se descobre que esse líquido era combustível. Essa contaminação faz com que ele se transforme aos poucos em um dos camarões. Ele passa a sofrer na pele tudo que ele e sua empresa os estavam fazendo passar. Descobrindo também que eles faziam testes com os aliens.
Assassinato, tortura psicológica, condições de vida horríveis, drogas (nesse caso ração de gato). Assim é o Distrito 9. Em certo ponto do filme, o próprio Wikus admite que para onde eles serão levados será até pior,um verdadeiro campo de concentração.
Cristopher é um “camarão” que só quer voltar para casa com seu filinho. Toda a relação de Wikus com Cristopher me lembrou Inimigo meu só que com muito mais violência. Mais alguém, além de mim, lembra desse filme? Levantem a mão!
Palmas para o filinho! Ele é inteligente e parece não fazer muita coisa até o momento crucial do filme quando ele causa uma reviravolta. No final do filme nós entendemos o motivo dos depoimentos como em um documentário.
O filme é atual, e fala muito sobre como as pessoas tratam aqueles que consideram diferentes. A ganância pela tecnologia e armamento que eles trouxeram. Em certo ponto do filme eu me peguei torcendo pelos aliens. Uma fala do filme representa bem a mensagem que ele quer passar: Todos devem saber dessa história, para que ela não volte a se repetir.

2 comentários:

Jean Coelho disse...

Realmente o filme vai fundo na questão da tolerância. Eu acho interessante o modo como eles fazem essa analogia dos aliens com as pessoas que ficam à margem da sociedade. Muito legal o seu blog! Já to seguindo!!

Vlw

http://radarfreak.blogspot.com/

Carlos Eduardo disse...

Cristopher não deveria ser um operário comum, isso é fato.

Só teve uma coisa que não gostei no filme: as legendas! "Essa parada", "BOPE" e "Caveirão" fica difícil no cinema...